Terapia gênica no tratamento da cardiopatia isquêmica

O Instituto de Cardiologia do RS, desenvolveu uma pesquisa liderada pelo prof. Renato Karam Kalil sobre o uso da terapia gênica no tratamento da cardopatia isquêmica avançada, também conhecida como doença arterial coronariana. Em entrevista o dr. Kalil fala desse novo tratamento. Trata também,do uso dos animais em pesquisas sobre  doenças coronárias e  sobre os transplantes, citando os trabalhos pioneiros dos doutores Barnard e Zerbini. Conheça mais sobre as pesquisas do Instituto em:http://www.cardnet.tche.br/

Veja a entrevista em: Ética na Pesquisa: Cardiopatia Isquêmica

Publicado em ética na pesquisa | Com a tag , , | 3.032 comentários

Animal bem tratado, pesquisa eficiente

Tratar bem o animal, além de ser uma exigência ética, é uma garantia para o sucesso dos resultados das pesquisas. Pesquisas essas que beneficiam não só os humanos, mas também os animais. E uma nova pesquisa realizada na Universidade de Stanford concluiu que noites mal dormidas afetam a formação de memórias. A pesquisa, além de um benefício para o ser humano, é mais um lembrete para que o pesquisador não descuide da promoção ao bem-estar dos seus animais de laboratório e outro para aqueles que são contra as pesquisas com animais de que os pesquisadores estão atentos a isso o tempo todo.

Veja matéria completa em: www.eticanapesquisa.org.br/imprensa

Publicado em ética na pesquisa | Com a tag , , , | 589 comentários

Você é contra pesquisas com animais?

O site www.researchsaves.org faz essa pergunta e propõe um desafio: assine um documento deixando claro que caso você seja admitido em um hospital não lhe seja administrado nenhum dos mais de 6 mil medicamentos e procedimentos que foram testados em animais, desde a antiácidos até medicamentos para tratamento de HIV. Veja o documento completo em:http://www.researchsaves.org/uploadedFiles/AADflyer%20hires.pdf

Publicado em ética na pesquisa | Com a tag , | 359 comentários

Lei Arouca

A lei 11.794, proposta pelo Deputado Federal e médico sanitarista Sérgio Arouca e sancionada pelo Presidente da República em 2008 regulamenta o inciso VII, par. 1, art. 225 da Constituição Brasileira que diz “proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade”.

O texto da lei regulamenta a criação e utilização de animais em atividades de ensino e pesquisa científica em todo Brasil. O dispositivo aplica-se aos animais vertebrados das espécies classificadas como filo Chordata (do latim chorda) que corresponde àqueles animais que possuem como características, ao menos na fase embrionária, a presença de notocorda, fendas branquiais na faringe, bem como tudo nervoso dorsal único. Essas estruturas estão presentes e são importantes durante a fase embrionária dos animais do filo Chordata, que incluem os anfioxos, as ascídias, as lampreias, os peixes, os anfíbios, os répteis, as aves e os mamíferos.

A Lei, também conhecida como “Lei Arouca”, regulamenta o conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA) que tem como principal objetivo formular e zelar pelo cumprimento das normas relativas à utilização humanitária de animais com finalidade de ensino e pesquisa científica. O CONCEA conta com a participação de representantes de Ministérios, Sociedades Científicas e de Sociedades Protetora de Animais.

Para que as Instituições de pesquisa que utilizam animais sejam credenciadas pelo CONCEA é obrigatório que elas constituam uma Comissão de Ética, cujo principal objetivo é garantir o bem-estar dos animais e analisar e julgar todos os projetos de pesquisa que utilizam animais. As Instituições que não cumprirem as normas da Lei estão sujeitas a multas e interdições de suas atividades de pesquisa.

No vídeo o Dr. André Carissimi da UFRGS fala sobre a Lei. Assistam!

Ética na Pesquisa: Lei Arouca

Veja a integra da Lei em:http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/308551.html

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , | 1.577 comentários

Oportunidade de bolsas de estudo

O Comitê Regional das Américas (CRA) do International Council for Laboratory Animal Science (ICLAS) anuncia até três bolsas de formação em ciência de animais de laboratório, promovido pelo Centro de Medicina Comparativa (CCM) no Massachusetts General Hospital (MGH). Cada prêmio irá patrocinar um indivíduo em viagem para Boston, Massachusetts, EUA e participar de treinamento em laboratório de ciência animal e experiências nas instalações e programas do MGH e instituições de pesquisa afiliadas, e colaborar na área por um período de três meses.

O Programa de Formação resumido inclui: ferramentas de gestão e técnicas de cuidados com animais de laboratório, visitas clínicas com veterinários CCM, seminários locais e regionais e conferências e visitas a outras instalações de cuidados com animais de laboratório e programas em instituições de pesquisa biomédica na vizinhança.

Veja as informações completas no site do Cobea e participe!

http://www.cobea.org.br/

Boa sorte.

Publicado em Sem categoria | Com a tag , | 1.171 comentários

Você conhece o CONCEA?

O Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal- CONCEA é a instância colegiada multidisciplinar de caráter normativo, consultivo, deliberativo e recusrsal, criada pela Lei 11.794/08, para coordenar os procedimentos de uso de animais em ensino e pesquisa científica.

Acompanhe as deliberações e reuniões do Conselho, assim como entre em contato com eles em:

http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/310553.html

Publicado em Sem categoria | Com a tag , , | 1.183 comentários

Animais de laboratório e as pesquisas de comportamento

Pesquisadores norte-americanos  do Brookhaven National Laboratory in Upton, Nova Iorque desenvolveram um escâner em forma de capacete que pode monitorar como as atividades cerebrais influenciam o comportamento. Esse novo procedimento evita a necessidade de anestesiar os animais e permite acompanhar em tempo real as atividades cerebrais enquanto os animais interagem em seu grupo.

O uso do equipamento pelos animais é confortável e eles não apresentam sinais de estresse, mesmo depois de várias horas de uso.

O equipamento oferece sinais confiáveis na medição das taxas de dopamina e serotonina, substâncias relacionadas a padrões de vícios,  comportamentos depressivos e sexuais, que são os objetos do estudo.

O próximo passo da equipe é desenvolver um “capacete-escaner” que possa ser usado por primatas e humanos. Assim eles poderão se movimentar e interagir em suas atividades sociais enquanto seus cérebros estão sendo escaneados. Esse novo procedimento contribuirá para um entendimento mais complexo das atividades químico-cerebrais e os padrões comportamentais. Possibilitando um avanço na terapêutica tanto na área de psicologia comportamental quanto na de psiquiatria.

Mais uma contribuição dos animais de laboratório para as pesquisas científicas sendo feita de modo ético e sem danos para o animal.

O artigo original em inglês pode ser encontrado em:

http://www.newscientist.com/article/dn20227-first-wearable-brain-scanner-lets-rats-run-free.html

Publicado em Sem categoria | 1.017 comentários

Pesquisas com animais de laboratório: caminhos éticos

Prezados pesquisadores,

O Ética na Pesquisa abre mais um canal de comunicação e troca de idéias para que possamos pensar de maneira crítica o tema do animal de experimentação; assim como divulgar conceitos e os resultados das pesquisas mais recentes.

Diariamente iremos postar artigos sobre os avanços das pesquisas científicas usando animais de laboratório e sobre temas como ética e legislação. Assim como entrevistas e vídeos relacionados ao tema.

Este espaço está aberto a todo o pesquisador que queira colaborar e assim ajudar a difundir e esclarecer sobre temas tão cruciais na pesquisa científica moderna, tanto no Brasil quanto em todo mundo.

Bem-vindo!

Dr. Jonas

Publicado em Sem categoria | 586 comentários